Programas e Projetos

 

Projeto EMAI – “Educação Matemática nos Anos iniciais do Ensino Fundamental”

Justificativa

O Projeto EMAI “Educação Matemática nos Anos iniciais do Ensino Fundamental” foi implantado na rede no ano de 2012 e compreende um conjunto de ações que têm como objetivo articular o processo de desenvolvimento curricular em Matemática, a formação de professores e a avaliação, elementos chave de promoção da qualidade da educação.

Esta ação tem como característica principal o envolvimento de todos os professores que atuam nos anos iniciais do Ensino Fundamental, a partir da consideração de que o professor é protagonista no desenvolvimento do currículo em sala de aula e na construção das aprendizagens dos alunos.

Este projeto propõe como ação principal a constituição de Grupos de Educação Matemática em cada escola, usando o horário destinado a atividades pedagógicas coletivas, ATPC, e atuando no formato de grupos colaborativos, organizados pelo Professor Coordenador – Anos Iniciais, com atividades conduzidas com a participação dos próprios professores.

Essas reuniões serão conduzidas pelo Professor Coordenador que terá apoio dos Professores Coordenadores dos Núcleos Pedagógicos das Diretorias de Ensino e terão como pauta o estudo e o planejamento de sequências de atividades que serão realizadas em sala de aula para posterior análise e avaliação do grupo.

O sucesso deste projeto depende da organização e do trabalho realizado nesse grupo sob a perspectiva da colaboração.

Metas

Considerando as metas planejadas pela SEE/SP, equipe CEFAI, consideramos de fundamental importância traçar algumas metas na DE para aprimorar as ações de formação e gestão pedagógica, visando a efetiva aprendizagem dos alunos dos Anos Iniciais.

•      Meta 1: Formação continuada em serviço para  100% dos professores coordenadores dos Anos Iniciais, visando à melhoria dos resultados de alfabetização dos alunos com até 7 anos de idade;

•      Meta 2: Avaliação diagnóstica da aprendizagem em relação à aquisição do sistema de escrita, produção de texto e conhecimentos matemáticos, compreendendo 100% dos alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental;

•      Meta 3: Envolver 100% dos professores  e alunos doa Anos Iniciais no Projeto Educação Matemática nos Anos Iniciais – EMAI;

•      Meta 4: Envolver 100% dos alunos dos 5º anos na 6ª edição da Jornada de Matemática;

•      Meta 5: Subsidiar 100% dos professores de 1º ano de conhecimentos específicos para o ensino e a aprendizagem dos alunos de seis anos.

 Ações

Oferecer subsídios e acompanhar o desenvolvimento do Programa Ler e Escrever – CEFAI, dando especial atenção às dificuldades apontadas pelas escolas;

Realizar Orientações Técnicas com os professores coordenadores, no Núcleo Pedagógico;

Acompanhar, apoiar e avaliar a elaboração e o desenvolvimento dos projetos de recuperação;

Orientar e subsidiar os professores coordenadores e os demais professores sobre a necessidade do desenvolvimento da proficiência leitora e escritora e dos conhecimentos matemáticos de seus alunos;

Orientar e subsidiar os professores coordenadores na formação dos professores;

Propiciar aos professores coordenadores tempo e espaço de estudo, análise e reflexão sobre a prática pedagógica e os resultados obtidos nas avaliações externas;

Realizar visitas às escolas em ATPCs e em outros momentos para o apoio, acompanhamento e avaliação das ações planejadas pela equipe escolar, pela DE e pelo CEFAI.

Avaliação

Ao longo do procedimento educacional, iremos considerar a modalidade de avaliação formativa, dita processual ou de desenvolvimento, que ocorre ao longo do processo de ensino-aprendizagem.

Sendo assim, justificamos que a avaliação formativa aconselha como os aprendizes estão se transformando em direção aos objetivos almejados. Nessa modalidade, o professor coordenador acompanha o professor e, este, acompanha o estudante ao longo do processo educativo, podendo saber, em determinados períodos, o que o aluno já aprendeu em face dos conteúdos das expectativas de aprendizagem propostas pela SEE/SP.


Projetos Especiais / Programa Escola da Família

ESCOLAS ABREM SUAS PORTAS AOS FINAIS DE SEMANA E SE TRANSFORMAM EM CENTROS DE CONVIVÊNCIA

O Programa Escola da Família foi criado no dia 23 de agosto de 2003 pela Secretaria de Estado da Educação.

Ele proporciona a abertura de escolas da Rede Estadual de Ensino, aos finais de semana, com o objetivo de criar uma cultura de paz, despertar potencialidades e ampliar os horizontes culturais de seus participantes.

Reunindo profissionais da Educação, voluntários e universitários, o Programa oferece às comunidades paulistas atividades que possam contribuir para a inclusão social tendo como foco o respeito à pluralidade e a uma política de prevenção que concorra para uma qualidade de vida, cada vez melhor.

Cada escola organiza as atividades dentro de 4 eixos: Esporte, Cultura, Saúde e Trabalho.

Em diversas regiões do Estado, as escolas públicas constituem o principal – ou, muitas vezes, o único – equipamento público, especialmente nas localidades em que há pouca ou nenhuma opção de lazer e cultura.

Os espaços escolares, que, antes ociosos aos finais de semana, passam a ser ocupados com atividades planejadas para a comunidade participante, favorecendo a essa o direito de conquistar e fortalecer a sua identidade. Assim, essa comunidade com responsabilidade, apropria-se desses espaços, agregando no seu cotidiano valores essenciais para a edificação de uma cultura participativa.